O carteiro chegou

A proposta inesperada de enviar e receber cartas deu novo sentido e entusiasmo ao exercício da escrita e da leitura realizado pelas crianças. Por Andréia Muller

Arte: base do projeto na escola

Na Escola Grão de Chão, a proposta pedagógica é guiada pela arte. Oficinas diárias com diferentes linguagens artísticas favorecem um trabalho estético de alta qualidade, e a cada ano uma caprichada exposição revela a consistência do trabalho realizado. Em 2006, o encanto ficou por conta de uma instalação com móbiles produzidos pelas crianças e professores. Por Beatriz Bianco

Muitos mundos numa única sala

Poderosa ferramenta de trabalho com as crianças pequenas, a organização de cantos de atividades diversificadas ainda não é uma prática usual no brasil, apesar de antiga em outros países. As instituições que experimentam a proposta obtém resultados significativos. Por Adriana Klisys

A microbiologia e os cuidados

Os complexos conceitos da microbiologia se iluminam a partir da visita a um museu dedicado ao tema. Olhar os micróbios e bactérias pelo visor de um microscópio é um dado importante para iniciar uma ação fundamentada com vistas a profissionalizar a higienização em espaços educativos. Por Damaris Gomes Maranhão

Desenhando a imaginação

As gravuras da artista paranaense Denise Roman revelam um universo lúdico, povoado de personagens que flutuam, cenários de fábulas e imagens sobrepostas. Com figuras que parecem ter saído do faz-de-conta infantil, sua obra é um inspirador ponto de partida para trabalhar o desenho de imaginação na sala de aula. Por Adriana Klisys

Uma gestão comprometida

Renovar a gestão da EMEI Ana Maria Poppovic, na Zona Oeste da capital paulista, foi o desafio assumido pela nova diretora e toda sua equipe. Da organização do ambiente à redefinição de papéis dos funcionários, cada decisão abriu espaço para uma forma de trabalhar mais integrada, participativa e transparente. Por Eliana Chiavone Delchiaro

Lendas brasileiras e computador: uma combinação que dá certo

Usar as novas tecnologias para envolver os alunos em situações reais de comunicação por meio da leitura e escrita foi o desafio enfrentado pelo projeto “Aventuras com as Letras e as Teclas”, realizado em Campinas (SP). Para promover esse aprendizado entre os alunos, foi preciso trabalhar na mesma direção com os educadores. Por Renata Frauendorf