Sobe, desce, agacha e pula

Uma proposta para explorar e ampliar os movimentos das crianças de 3 anos
criança brincando

A confiança da educadora nas crianças e o conhecimento sobre o que elas são capazes de fazer possibilitam mais autonomia e maior liberdade

“Queríamos dar às crianças a oportunidade de conhecer mais seu próprio corpo e se apropriar de novos movimentos” – contam as educadoras que pesquisaram as possibilidades corporais das crianças pequenas. Veja como elas aproveitaram materiais e exploraram espaços diferenciados para propor boas atividades neste eixo de trabalho

Uma boa proposta pedagógica sempre parte de um olhar atento do professor sobre as crianças. O trabalho com o eixo de movimento para crianças pequenas, na creche Recanto Infantil Parque Figueira Grande, não fugiu à regra. Lá, tudo começou com uma boa avaliação. Observando as crianças no dia-a-dia, nas suas brincadeiras na sala ou no parque, as educadoras Claudinete Rocha Copari e Maria
Nazareth Eloy perceberam a necessidade de
ampliar suas possibilidades corporais, para que tivessem um maior domínio e pudessem executar novos movimentos, com mais autonomia e intencionalidade.

Pesquisando os materiais que havia na creche, elas conseguiram adaptar algumas atividades para sua turma. Idealizaram percursos com obstáculos que sugeriam às crianças movimentos variados como subir, descer, correr, pular, agachar, sentar, rolar, virar cambalhotas etc. Os materiais utilizados, em geral presentes no cotidiano, ganharam outros significados nessa brincadeira: os bancos viraram pontes onde era difícil se equilibrar, caixas funcionavam como túneis por onde só passaria quem se agachasse etc. A organização do espaço era um grande desafio para elas, dada a carência de locais mais amplos na própria creche. Mas “a falta de espaço não impediu que a educadora criasse situações de aprendizagem interessantes e desafiadoras em outros locais como, por exemplo, na praça ou na calma rua em frente à creche” – lembrou Simone M. de Alcântara Pinto, responsável pela formação dos educadores da instituição. De fato, não impediu. As educadoras desenvolveram uma seqüência de atividades adequando a proposta aos espaços de que a creche dispunha e procurando também explorar outras áreas.

crianças brincando

Os objetivos e a organização prévia da atividade permitem à educadora
maiores condições para a reflexão de sua prática. Isso possibilita criar
desafios cada vez mais interessantes às crianças

Veja como organizaram as atividades usando as salas, um salão, a quadra e a praça pública em frente à creche:

  1. Fizeram uma roda de conversa para explicar o trabalho às crianças. Elaboraram uma lista de materiais para iniciar e programaram diferentes circuitos.
  2. No pátio, as crianças subiam e andavam sobre um banco e passavam por debaixo da mesa.
  3. No parque, puseram colchões, para virar cambalhotas, e pneus para passar, como se fosse um túnel, e pular dentro e fora.
  4. Na quadra, ofereceram bola para jogar na
    parede, para o alto, para os lados etc, cabo de vassoura para servir de obstáculos e bambolês para passar por dentro.
  5. E, finalmente, na praça, ensinaram a usar papelão para escorregar. Animadas com o progresso das crianças, as educadoras não deixaram de registrar cada momento e de repensar os passos seguintes, avaliando o próprio trabalho: “Algumas crianças
    foram corajosas e mostraram equilíbrio,
    outras ficaram inseguras, precisando de motivação. Hoje elas já sabem até organizar os percursos sozinhas. Fomos registrando com fotografias e desenhos. As crianças de outras salas também puderam aprender, participar e ainda apreciar a exposição de fotos sobre percursos e circuitos”, contam. As mesmas fotos que aqui ilustram nossa matéria informam e dão boas dicas para quem quiser continuar pesquisando nessa linha

 

Dicas de materiais

Crianças brincando

A utilização de materiais diversificados proporciona às crianças a descoberta de novos desafios corporais, novas formas de ocupar e de se relacionar com o espaço e, ainda, de perceber suas próprias habilidades e limites corporais.

Para organizar um bom circuito é preciso pesquisar as possibilidades dos materiais e investigar o desafio que eles podem propor às crianças: saltar para dentro, equilibrar-se, andar, escorregar, rolar etc. Experimente:

  • pneus ou bambolês para pular e passar por dentro;
  • bancos, ripas de madeira, obstáculos ou mesmo cordas e barbantes para delimitar caminhos trabalhando as habilidades motoras, ritmo, velocidade;
  • Caixas de papelão para fazer túneis para agachar, arrastar, alongar, encolher;
  • tábuas de madeira para fazer rampas por onde se pode subir, escorregar, equilibrar, correr;
  • tecidos, corda, barbante ou mesmo
    papelão para fazer labirintos e trabalhar limites espaciais;
  • colchonetes para virar cambalhotas,
    amortecer saltos, equilibrar-se, fortalecer a musculatura, trabalhar a resistência, tensão e relaxamento.

Ficha Técnica

A seqüência de atividades de movimento para crianças de 2 a 3 anos foi proposta pelas professoras Claudinete Rocha Copari e Maria Nazareth Eloy, da creche Recanto Infantil Parque Figueira Grande, sob a supervisão de Simone M. de Alcântara Pinto.

Para saber mais

Bibliografia

  • Educação de corpo inteiro – Teoria e Prática da Educação Física. J.B.Freire. Ed. Scipione. Tel. (0XX11) 3277-1788.
  • Henri Wallon: uma concepção dialética do
    desenvolvimento infantil. Isabel Galvão.
    Ed. Vozes. Tel.: (0XX11) 258-6910.
  • A questão do movimento no cotidiano de
    uma pré-escola. Isabel Galvão. Cadernos de pesquisa nº 98. Fundação Carlos Chagas.
    Tel.: (0XX11) 3721-4511.
  • Educação Física na pré-escola: da especialização disciplinar à possibilidade
    de trabalho pedagógico integrado. D.T.Sayão. Dissertação de mestrado. Centro
    de Ciências da Educação da Universidade
    Federal de Santa Catarina.
  • A importância do Movimento no desenvolvimento psicológico da criança in Psicologia e educação da infância – antologia. Henri Wallon. Ed. Estampa.

Este conteúdo faz parte da Revista Avisa lá edição #6 de abril de 2001. Caso queira acessar o conteúdo completo, compre a edição em PDF ou impressa através de nossa loja virtual – http://loja.avisala.org.br

Tags: , , , , ,

Trackback from your site.

Leave a comment

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.

Fazemos Parte

Facebook

Google+