Eu sou assim – Como as crianças elaboram seus auto-retratos

“Estamos nesse grupo e precisamos nos conhecer melhor”, é o que dizem as crianças de uma creche em São Paulo ao apresentar os auto-retratos da turma. Observar imagens, conhecer procedimentos e formas diversas de expressar-se foram algumas das oportunidades oferecidas ao grupo nas propostas levadas pela professora. O resultado salta aos olhos: imagens belíssimas que recheiam as páginas seguintes. Conheça essas crianças por meio de suas letras, traços e cores.


Desenho de Bruna, da Creche Amuno

Antes de pedir para a criança fazer seu auto-retrato, o que não é nada simples, tento deixá-la familiarizar-se com o tema. Conversamos sobre o que é um auto-retrato, observamos vários exemplos de artistas, em diferentes linguagens. Também observamos o rosto do amigo para analisar como são os olhos, o nariz, a boca etc. Peço também para que se olhe no espelho, e só então deixo-a produzir seu retrato segundo os critérios que ela definir.

As crianças são tão precisas que deixam em evidência, em suas produções, os detalhes dos olhos, como os cílios, e as curvas do formato da boca. Detalhes que, talvez, não constariam em suas produções se não tivessem todo esse processo de preparação.

Algumas dessas produções ilustram a capa desta edição. São resultado de etapas finais, mas antes as crianças também experimentaram outros materiais, como carvão e giz pastel, por exemplo. Para os leitores que apreciam o fazer das crianças, compartilho os autorretratos que ilustram essas páginas.

(Eliane Feitosa, educadora da creche Amuno)

Situações de escrita num projeto de artes

Questionário sobre as preferências da crianças

Além da preparação da imagem, a professora também criou oportunidades para que as crianças pudessem ampliar o próprio conceito de auto-retrato. Ela propôs que cada uma discutisse e escrevesse itens de uma lista de suas preferências: que time torce, de que comida mais gosta, do que brinca mais etc.

Pensar sobre essas respostas levou cada uma a falar sobre si e a conhecer mais sobre as outras crianças do grupo, trazendo à tona elementos que podiam compor a construção de uma imagem que as representasse bem, incluindo as particularidades.

Essa escrita pôde ser aproveitada em outros momentos, a fim de que o grupo pudesse aprender mais sobre a língua portuguesa. Dando oportunidades para que escrevessem de próprio punho, segundo suas hipóteses, apresentassem suas produções e discutissem sobre elas, Eliane permitiu às crianças conhecer mais sobre outro modo de representação, a escrita.

Dica de leitura

No livro Espelho de Artista, de Katia Canton, você vai encontrar vários tipos de auto-representação, desde as marcas de mãos deixadas nas paredes das cavernas, na pré história, até os autorretratos contemporâneos. É uma fonte interessante para quem quiser pensar em projetos parecidos com o da professora Eliane.

Espelho de Artista. Katia Canton. Ed. Cosac & Naify.Tel.: (11) 255-8808

Desenho de criança da Creche Amuno

Ficha técnica:

Creche Amuno. Rua Aparecida Ivone Munhoz, 91, Jd. Novo Osasco, Osasco, SP, 06142-050. Tel.: (11) 3609-1091. E-mail: [email protected]


Este conteúdo faz parte da Revista Avisa lá edição #8 de outubro de 2001. Caso queira acessar o conteúdo completo, compre a edição em PDF ou impressa através de nossa loja virtual – http://loja.avisala.org.br

Posted in Conhecendo a Criança, Revista Avisa lá #8 and tagged , , , , , , , , .