O papel do jogo na educação das crianças

Conhecer como e por quê as crianças brincam é caminho seguro para uma prática educativa que respeita o seu fazer lúdico. A observação atenta das brincadeiras e o respaldo teórico colaboram para que as intervenções dos educadores sejam apropriadas. Por Gisela Wajskop

A Música da Criança

Nessa entrevista com a professora de música Teca Alencar de Brito, uma conversa sobre a importância da música na Educação Infantil

Para além do desenho livre – Quando a interferência ajuda as crianças

As crianças pequenas podem iniciar uma formação artística desde que encontrem um professor que alimente seus processos. Para que ele possa fazer propostas significativas e tomar decisões adequadas ao que pretende ensinar, precisa conhecer o percurso criador das crianças e regular as interferências de acordo com as reais possibilidades de aprendizagem. Por Ana Christina Romani

Sobe, desce, agacha e pula

Uma proposta para explorar e ampliar os movimentos das crianças de 3 anos. Pesquisando as possibilidades corporais das crianças pequenas. Veja como elas aproveitaram materiais e exploraram espaços diferenciados.

A criança e os conhecimentos sobre a natureza e a sociedade

Desde cedo as crianças convivem com fenômenos naturais e sociais. Curiosas, querem descobrir e decifrar o mundo que as cerca, saber como as coisas se transformam, por que acontece isso e não aquilo. Conheça mais sobre o que e como as crianças pensam as manifestações da natureza nesta conversa com Luciana Hubner, formadora do Crecheplan, consultora do MEC e assessora de prefeituras.

Rituais de Passagem

Todos os anos, creches e pré-escolas recebem crianças pequenas, nos grupos iniciais, e promovem as despedidas das maiores que, aos 6 anos, deverão ocupar vagas na primeira série do ensino fundamental. Estes momentos – ingresso e saída de uma instituição de educação infantil – marcam passagens importantes na vida das crianças, nem sempre vividas sem alguma dor ou inquietação. Pais e educadores, que convivem diretamente com os conflitos próprios desta fase, são peças importantes para assegurar dias mais tranqüilos. Por Beatriz Vannucchi Leme

Cuidados compartilhados – Um planejamento para acolher os pais

É comum que os pais alimentem uma expectativa de que seus filhos sejam cuidados, na instituição de educação, da mesma forma individualizada como são cuidados em casa. a maioria das vezes, sabem pouco sobre as relações e o cotidiano em ambientes coletivos. A desinformação aumenta as dúvidas, gera ansiedade e insegurança, que acabam sendo transferidas aos filhos. Esta atmosfera tensa dificulta a entrada das crianças e o trabalho dos educadores que mediam a passagem de casa para a instituição educativa. Para cuidar desta relação tão delicada, duas creches planejaram o acolhimento aos pais buscando formas de compartilhar os cuidados e a educação das crianças.