Ler, escrever e desenhar a partir da memória local

Aprender com sentido na escola tem sido desde sempre um desafio para professores. Produtos escolares, em geral, são aborrecidos exercícios com pouco significado e não entusiasmam os alunos, os professores e, muito menos, a comunidade. Veja como isso pode ser diferente:

avisala_18_uber6
Uma das modalidades organizativas do tempo didático que mais ajudam a produzir com significado é, sem dúvida, o projeto didático1. Uma proposta com um tema bem escolhido e um produto final interessante favorece a ampliação cultural no ambiente escolar, além de contribuir para um objetivo social claro e visível para todos os envolvidos. Os projetos sobre memória local na escola cumprem ambos os critérios: o tema entusiasma a todos, pois diz respeito à identidade e auto-estima das pessoas; as crianças lêem e escrevem porque realmente precisam, e o que produzem tem uma destinação social.

Nos projetos sobre memória local, as crianças elaboram material para exposições presenciais e virtuais. O projeto sobre memória local na escola vem sendo desenvolvido em diferentes comunidades desde 2001. Nesse ano começou simultaneamente em Ituiutaba, Minas Gerais, e na Vila Isabel, na cidade do Rio de Janeiro. É uma criação conjunta do Museu da Pessoa e do Instituto Avisa Lá e conta com a parceria do Instituto Algar, em Minas; e do Instituto Pão de Açúcar2, no Rio de Janeiro e em Santos.

Fazemos Parte

Facebook

Google+