Engolindo árvores com os olhos

Passeios para observar a natureza são recursos importantes para que as representações infantis tenham força e expressão e não sejam mais estereotipadas
sustanca5.jpg

Leonardo de Moraes, 9 Anos

No Ateliê Parangolé1, propostas inusitadas fazem parte do cotidiano das crianças. Elas já foram convidadas, por exemplo, a interagir com palitos de dente que queriam ser outra coisa, a construir um pote para guardar o tempo e a fazer desenhos para enganar o olho. Todas as propostas têm o intuito de transformar as atividades cotidianas do espaço em experiências nas quais o processo, quase sempre, conta mais do que o resultado. Algumas vezes, é a minha preocupação com as produções infantis que me faz pensar nas propostas. Ao ver árvores desenhadas pelos alunos, me incomodei com o excesso de estereótipos. Elas eram todas muito semelhantes, representadas com dois riscos como tronco e uma copa redonda.

Fazemos Parte

Facebook

Google+